Domingo, 1 de Novembro de 2009

Porra

Em 2009 tento lembrar-me há quanto tempo não ligo o rádio para ouvir música. Só pela música. Não me lembro. Não morar em Lisboa ou no Porto não deixa. Houve tempos em que não tinha internet, canais de música. Não foi assim há tanto, uma década, menos talvez. Aí sim, a rádio era como pão para a boca. Por isso ver o António Sérgio partir, numa idade tão puta, é quase como ver partir um daqueles amigos a quem não se liga peva há anos. Mas recordar aquelas noites, naquela idade em que ainda só apalpava as coisas e em que ligava o rádio e tentava imaginar que homem tinha aquela voz, isso, é um privilégio. Desculpa António. Porra.


Lídia Gomes às 16:28
link | comentar | favoritos

▪ os pornógrafos

▪ pesquisar

 

▪ Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

▪ posts recentes

Maio

Apichatpong, dois

As quatro voltas

Apichatpong, um

Simpatias

Filmes difíceis

O adeus televisivo de uma...

Black Swan

Re-Animator

A rainha da galáxia

▪ tags

1982(1)

1985(1)

1989(1)

2004(3)

2006(11)

2007(67)

2008(75)

2009(46)

2010(8)

2011(1)

a música é a mãe de todos os vícios(16)

a música é mãe de todos os vícios(1)

apartes(3)

arte(2)

artwork(2)

cinema(190)

concertos(25)

críticas cinema(8)

críticas literatura(1)

críticas música(1)

efemérides(1)

entrevista(1)

festivais(2)

fotografia(1)

literatura(11)

momentos "saduf! muito bom!"(9)

música(231)

musica(1)

notícias cinema(1)

notícias música(7)

notícias televisão(3)

obituário(2)

off-topic(8)

pintura(2)

promessas(2)

quem escreve assim não é gago(7)

revistas(1)

televisão(101)

tops(7)

velhas pornografias(3)

videojogos(3)

todas as tags

▪ links

free tracking

▪ subscrever feeds