Terça-feira, 3 de Novembro de 2009

Inferno

Drag Me To Hell tem sido vendido como um certo regresso às origens por parte de Sam Raimi, um realizador de 50 anos que volta a fazer um filme de terror de baixo orçamento depois de três filmes de milhões que renderam milhões sobre um certo super-herói aracnídeo e quase três décadas após o primeiro Evil Dead, o filme que o “fez” enquanto realizador e que tornou Bruce Campbell – agora entretido com projectos masturbatórios de gosto duvidoso – num sério fenómeno de culto. Mas de back to basics Drag Me To Hell tem pouco. Evil Dead (e as sequelas, mais tarde) era um filme brutalmente inventivo que pulsava cinema por todo o lado – ou não fosse feito por um jovem realizador em início de carreira – e no qual era notória a paixão de Raimi pelo métier. Já Drag Me to Hell é um filme sem fôlego, um recauchutar de ideias gastas sem nada de novo para dizer; no fundo, um golpe de marketing. É, acima de tudo, e à semelhança do último Indiana Jones, um filme demasiado produzido, como se com Spider-Man e respectivas sequelas Raimi tivesse atingido o ponto de não retorno e esquecido o que a sujidade e a (deliberada) falta de polimento fizeram pelos seus filmes dos anos 80. Uma desilusão, portanto.

 

Alison Lohman, a donzela em perigo, não ajuda. Não é Bruce Campbell quem quer.

tags:

Fábio Jesus às 21:42
link | comentar | favoritos
4 comentários:
De Dora a 11 de Novembro de 2009 às 16:51
Eu cresci a ver e a ter medo do Evil Dead. Juntamente com o Exorcista, eram os filmes de que tinha medo. "Papava" tudo mas só tinha medo destes.
Tenho o Drag me to Hell há semanas para ver mas ainda não me puxou...


De Dora a 11 de Novembro de 2009 às 16:52
Nests blogs do sapo, como é que leio as respostas? Não chegam ao mail, pois não?
Agradecia que me enviasses um mail só a confirmar isto por favor.


De Fábio Jesus a 25 de Novembro de 2009 às 17:55
Recebes um email a dizer que alguém respondeu ao teu comentário desde que tenhas preenchido o espaço para o email quando comentaste.


De Pedro Afonso a 18 de Novembro de 2009 às 16:03
Além do tal projecto masturbatório, Bruce Campbell entra também na série "Burn Notice". E é uma excelente personagem e um regalo ver Campbell em grande forma.


Comentar post

▪ os pornógrafos

▪ pesquisar

 

▪ Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

▪ posts recentes

Maio

Apichatpong, dois

As quatro voltas

Apichatpong, um

Simpatias

Filmes difíceis

O adeus televisivo de uma...

Black Swan

Re-Animator

A rainha da galáxia

▪ tags

1982(1)

1985(1)

1989(1)

2004(3)

2006(11)

2007(67)

2008(75)

2009(46)

2010(8)

2011(1)

a música é a mãe de todos os vícios(16)

a música é mãe de todos os vícios(1)

apartes(3)

arte(2)

artwork(2)

cinema(190)

concertos(25)

críticas cinema(8)

críticas literatura(1)

críticas música(1)

efemérides(1)

entrevista(1)

festivais(2)

fotografia(1)

literatura(11)

momentos "saduf! muito bom!"(9)

música(231)

musica(1)

notícias cinema(1)

notícias música(7)

notícias televisão(3)

obituário(2)

off-topic(8)

pintura(2)

promessas(2)

quem escreve assim não é gago(7)

revistas(1)

televisão(101)

tops(7)

velhas pornografias(3)

videojogos(3)

todas as tags

▪ links

free tracking

▪ subscrever feeds