Sábado, 10 de Março de 2007

Das Leben der Anderen (2006), de Florian Henckel von Donnersmarck




2006 foi, no plano cinematográfico, um ano marcadamente político. De Babel a Blood Diamond, de The Queen a The Last King of Scotland, passando pelo díptico de Clint Eastwood sobre a Batalha de Iwo Jima e acabando nas politiquices musicais de Dreamgirls. A Alemanha tem uma negra mas riquíssima história, particularmente no Século XX, que tem sabido explorar e recriar no cinema, com excelentes resultados – relembre-se Der Untergang, de Oliver Hirschbiegel, que há dois anos perdeu o Óscar de Melhor Filmes Estrangeiro para o espanhol Mar Adentro.

 

Das Leben der Anderen, primeira longa-metragem de Florian Henckel von Donnersmarck, afasta-se do período recorrente da Segunda Guerra Mundial, acabando por se centrar nos tempos conturbados que se lhe seguiram, a segunda metade do Século XX, na qual a Alemanha se tornou no coração de uma bipolarização mundial, com a sua divisão em República Federal Alemã e República Democrática Alemã. É nesta última, a Este do Muro de Berlim, que decorre a acção do filme.

 

Donnersmarck explora todo o conservadorismo e proibição que se vivia na RDA na altura, particularmente a supervisão com punho de ferro que se impunha sobre o mundo das Artes. A personagem principal, aliás, é Georg Dreyman, um dramaturgo que arrisca a sua já limitada liberdade para informar o exterior da opressão vivida. O verdadeiro ponto de interesse, no entanto, consiste em verificar a evolução ideológica do agente encarregue de vigiar e relatar todos os movimentos de Dreyman. É na história de redenção deste agente, interpretado com uma contenção notável por Ulrich Mühe, que o realizador concentra os seus maiores esforços, e é nela que residem os momentos de maior densidade dramática de todo o filme. Não é uma personagem de todo inédita, mas resulta na perfeição devido à expressividade de Mühe, que compõe um homem que começamos por detestar mas com o qual não conseguimos evitar simpatizar.

 

Na boa tradição do cinema europeu, Das Leben der Anderen é uma obra sóbria, informativa e tocante, que consegue fazer passar a mensagem sem se esforçar demasiado. Donnersmarck cria personagens fortes, com uma dimensão real e não apenas simples marionetas usadas ao serviço do avançar do argumento, e com elas conta-nos uma história credível que, infelizmente, ainda reflecte a situação de certas nações. Um dos grandes filmes de 2006.

 

9/10


Fábio Jesus às 19:36
link | comentar | favoritos
3 comentários:
De Jojo a 11 de Março de 2007 às 15:16
Então afinal onde param os videos de chinesas a brincar com pinos da estrada?
Isso bem que servia para reduzir a velocidade de circulação do trânsito e contribuia para uma melhoria nas taxas de sinistralidade rodoviária. Enfim, este é o país que temos...


De JORGE a 13 de Março de 2007 às 18:36
Este filme é realmente excelente! Ainda que não tenha visto os outros candidatos ao óscar para melhor filme estrangeiro, arrisco em afirmar que ganhou bem!


De Ginha a 17 de Março de 2007 às 00:10
Bem, eu realmente gostei deste filme. Principalmente do final. Surpreendeu-me bastante.
HGW XX/7 :)

**


Comentar post

▪ os pornógrafos

▪ pesquisar

 

▪ posts recentes

Maio

Apichatpong, dois

As quatro voltas

Apichatpong, um

Simpatias

Filmes difíceis

O adeus televisivo de uma...

Black Swan

Re-Animator

A rainha da galáxia

▪ arquivos

Junho 2011

Maio 2011

Fevereiro 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

▪ links

free tracking

▪ subscrever feeds