Quinta-feira, 17 de Abril de 2008

O cineasta do regime

Por muito que o peso do epíteto não seja exactamente benévolo, a verdade é que o papel de António Lopes Ribeiro na criação de uma certa indústria do cinema português nos anos 30 não é, de todo, esquecível. E numa altura em que se comemora o centenário do seu nascimento - 16 de Abril de 1908 - ficam para a história a fundação da produtora Tóbis e um punhado de grandes obras onde Lopes Ribeiro se destacou como realizador, produtor ou argumentista. O Pai Tirano (1941), que realizou e O Pátio das Cantigas (1941), que produziu para uma realização do seu irmão Ribeirinho, outro dos vultos da era de ouro do cinema do nosso país, serão os exemplos maiores, comédias que não descuram o retrato social de um Portugal de brandos costumes, profundamente bairrista, conivente com o regime. Hoje, passados 60 anos, é inegável que subsiste alguma magia quando se fala destas duas comédias que, mesmo espelhando muito do Portugal tradicionalista, marcam a diferença, fugindo do academismo que marcou a obra "propagandista" de Lopes Ribeiro ou mesmo obras posteriores do autor como Amor de Perdição (1943) ou Frei Luís de Sousa (1950). E é por elas que aqui lhe deixo a minha homenagem.   

tags:

Lídia Gomes às 10:41
link | comentar | favoritos
3 comentários:
De JBM a 18 de Abril de 2008 às 18:35
Nunca, Edmundo!... O Dr. Vasconcelos jurou-me que ao soar da badalada da uma hora na Torre de São "Deniz"… entraria nesta sala! (Gong) Ei-lo!. ;)


De Lídia Gomes a 18 de Abril de 2008 às 19:39
Nem tu velha carcaça escaparás ao meu ódio!


De H. a 20 de Abril de 2008 às 14:51
Há algumas comédias que hoje facilmente se apelidam "do regime" e que contém momentos mais ambíguos do que se poderia esperar...
Quanto a Lopes Ribeiro, foi autor das duas obras ficção de propaganda inequívoca do regime (A Revolução de Maio e O Feitiço do Império) mas teve um papel incontornável na promoção do cinema nacional, foi um pioneiro da indústria e um pioneiro também no jornalismo de cinema. Uma figura bastante interessante na história do cinema português, mesmo que não concordemos com as suas posições pró-regime e mesmo que não apreciemos de todo a sua obra de propaganda...


Comentar post

▪ os pornógrafos

▪ pesquisar

 

▪ Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

▪ posts recentes

Maio

Apichatpong, dois

As quatro voltas

Apichatpong, um

Simpatias

Filmes difíceis

O adeus televisivo de uma...

Black Swan

Re-Animator

A rainha da galáxia

▪ tags

1982(1)

1985(1)

1989(1)

2004(3)

2006(11)

2007(67)

2008(75)

2009(46)

2010(8)

2011(1)

a música é a mãe de todos os vícios(16)

a música é mãe de todos os vícios(1)

apartes(3)

arte(2)

artwork(2)

cinema(190)

concertos(25)

críticas cinema(8)

críticas literatura(1)

críticas música(1)

efemérides(1)

entrevista(1)

festivais(2)

fotografia(1)

literatura(11)

momentos "saduf! muito bom!"(9)

música(231)

musica(1)

notícias cinema(1)

notícias música(7)

notícias televisão(3)

obituário(2)

off-topic(8)

pintura(2)

promessas(2)

quem escreve assim não é gago(7)

revistas(1)

televisão(101)

tops(7)

velhas pornografias(3)

videojogos(3)

todas as tags

▪ links

free tracking

▪ subscrever feeds